Se amar é pecado, quero morrer no pecando.

sexta-feira, 1 de março de 2013

Papa Bento XVI

Adeus  Joseph Ratzinger   Papa Bento XVI

Em sua despedida perante os fiéis em Castel Gandolfo, papa emérito disse que após renúncia é 'apenas um peregrino em sua última fase de sua peregrinação nesta Terra'

Primeiro papa a renunciar em  quase 600 anos, Bento 16. 

Bento 16 prometeu sua " reverência e obediência incondicionais " a seu sucessor durante seu último encontro com os cardeais, afirmando que rezaria por eles quando começarem a escolher seu sucessor. "Entre vocês está também o futuro papa, a quem eu prometo minha reverência e obediência incondicionais"

A decisão de Bento 16 foi saudada e entendida pela maioria. Cardeais, autoridades do Vaticano e católicos se uniram em torno dele em reconhecimento de seu estado frágil e da necessidade da Igreja por um líder mais forte.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Imposto de Renda 2013

Receita divulga novas regras do IR e prazo para declaração começa em 1º de março

A Receita Federal publicou hoje (19) as normas e os procedimentos para o preenchimento da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2013. O prazo para entrega vai de 1º de março a 20 de abril.
Estão obrigados a declarar os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis cuja soma foi superior a R$ 24.556,65 em 2012. O valor foi corrigido em 4,5% em relação ao ano anterior. Também está obrigado a declarar o contribuinte que recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil.
A apresentação da declaração é obrigatória para quem obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas ou obteve receita bruta com a atividade rural superior a R$ 122.783,25.
Quem tinha, até 31 de dezembro de 2012, posse de bens ou propriedade, inclusive terra nua, com valor superior a R$ 300 mil também está obrigado a declarar.

Faça a sua declaração de Imposto de Renda.
Fones de Contacto: (91) 9933-3255 (oi)
                               (91) 8134-4659 (Tim)
                               (91) 3230-1763
                               (91) 3349-4267

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Fábulas de Esopo

A Lebre e a Tartaruga
"A lebre estava se vangloriando de sua rapidez, perante os outros animais:- Nunca perco de ninguém. Desafio a todos aqui a tomarem parte numa corrida comigo.- Aceito o desafio! Disse a tartaruga calmamente. Isto parece brincadeira. Poderia dançar à sua volta, por todo o caminho, respondeu a lebre. Guarde sua presunção até ver quem ganha, recomendou a tartaruga. A um sinal dado pelos outros animais, as duas partiram. A lebre saiu a toda velocidade. Mais adiante, para demonstrar seu desprezo pela rival, deitou-se e tirou uma soneca. A tartaruga continuou avançando, com muita perseverança. Quando a lebre acordou, viu-a já pertinho do ponto final e não teve tempo de correr, para chegar primeiro.
Moral: Com perseverança, tudo se alcança

Fábulas de Esopo





O Camundongo da Cidade e o do Campo
"Um camundongo que morava na cidade foi, uma vez, visitar um primo que vivia no campo. Este era um pouco arrogante e espevitado, mas queria muito bem ao primo, de maneira que o recebeu com muita satisfação. Ofereceu-lhe o que tinha de melhor: feijão, toucinho, pão e queijo.O camundongo da cidade torceu o nariz e disse:- Não posso entender, primo, como você consegue viver com estes pobres alimentos. Naturalmente, aqui no campo, é difícil obter coisa melhor. Venha comigo e eu lhe mostrarei como se vive na cidade. Depois que passar lá uma semana, você ficará admirado de ter suportado a vida no campo.Os dois puseram, então, a caminho. Tarde da noite, chegaram à casa do camundongo da cidade.- Certamente você gostará de tomar um refresco, após esta caminhada, disse ele polidamente ao primo.Conduziu-o à sala de jantar, onde encontraram os restos de uma grande festa. Puseram-se a comer geleias e bolos deliciosos. De repente, ouviram rosnados e latidos.- O que é isto? Perguntou, assustado, o camundongo do campo.- São, simplesmente, os cães da casa, respondeu o da cidade.- Simplesmente? Não gosto desta música, durante o meu jantar. Neste momento, a porta se abriu e apareceram dois enormes cães. Os camundongos tiveram que fugir a toda pressa.- Adeus, primo, disse o camundongo do campo. Vou voltar para minha casa no campo.- Já vai tão cedo? perguntou o da cidade.- Sim, já vou e não pretendo voltar, concluiu o primeiro.
Moral: Mais vale o pouco certo, que o muito duvidoso

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Oração em Família

Oração para se fazer em família

Senhor, concedei a mim e família, a graça de Vos buscar antes de todas as coisas, pois somente assim poderemos viver na unidade.
Vinde com Vosso Espírito sobre meu lar e removei os problemas que em nós existam: males do corpo, da alma, do espírito, do coração.
Que ajamos como se tudo dependesse de nós, mas certos de que somente por Vossa graça poderemos – mesmo em meio a sofrimentos, permanecer na Vossa paz.
Que sejamos profundamente amigos, ajudemo-nos mutuamente a crescer na prática da fé e reavivemos sempre mais o amor que selamos diante de Vós, num compromisso sagrado e para sempre.
Nada mais angustiante para os coraçõezinhos das crianças do que a insegurança diante de um pai e uma mãe, a quem tanto amam, discutindo, ofendendo-se mutuamente.
Dai-nos saber amar profundamente, como amastes e amais Vossa Igreja.
Que nos lembremos que o maior presente que nossos filhos podem receber, é o amor que exista entre nós, seus pais.
Vinde, Senhor Jesus, restaurai minha família e as famílias do mundo inteiro.
Amém.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Corruptos



Se isso acontecesse  no Brasil, o nosso congresso fechava por falta de políticos em liberdade.

video

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

O Amor de Jesus

O amor de Deus é de suma importância para nós – tanto neste mundo como no outro.
Neste mundo.
1.º O amor de Deus ilumina a nossa razão – A nossa alma assemelha-se a um espelho que reflete os objetos que lhe apresentam. Se voltarmos, portanto, a nossa alma para o amor de Deus, nela resplandecerá a divindade, quer dizer, compreenderá melhor as coisas divinas, será iluminada.
O ferro em brasa deixa-se facilmente trabalhar, a alma abrasada no amor de Deus, é mais sensível às inspirações do Espírito Santo. Aquele que tem maior caridade, atinge um conhecimento mais perfeito de Deus. É o que sucede com o fogo; quanto mais ardente mais viva é a sua luz.
.
2.° O amor de Deus robustece a nossa vontade – Não há nada que dê mais força e coragem que o amor. “O amor suporta tudo, diz o Apóstolo São Paulo, e tudo sofre.” (I Cor. XIII, 7).
.
3.° O amor de Deus obtém-nos o perdão dos pecados - Jesus Cristo disse de Madalena pecadora; “Perdoados lhe são muitos pecados porque amou muito.” (Luc. VII, 47). “O amor, diz São Pedro, cobre a multidão das faltas.” (I Ped. IV, 8).
.
No outro mundo.
1.º Pelo amor de Deus obtemos os gozos do Céu “Nunca os olhos viram, nem os ouvidos ouviram, nem jamais o entendimento do homem compreendeu o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.” (I Cor. II, 9).
.
2.º O amor de Deus valoriza as nossas boas obras - Às nossas boas obras terão valor tanto maior, diz São Francisco de Sales, quanto maior for a caridade com que as praticarmos. “O amor é o tempero das boas obras, diz São Boaventura; quanto mais temperos desses possuímos, mais as nossas obras são agradáveis ao paladar de Deus.” A comida sem sal não tem sabor nenhum, assim as nossas obras se lhes falta o amor, não são ao gosto de Deus.
.
3.º O amor de Deus aumenta a nossa felicidade no Céu - A nossa felicidade será tanto maior quanto maior for, ao morrermos, o grau do nosso amor.
.
Quanto mais tivermos amado, diz São Francisco de Sales mais seremos glorificados no Céu. Um pai também dá mais àquele dos seus filhos que lhe mostrou mais afeição. O amor é o peso do homem; quer dizer que quanto mais ele ama, maior é o valor que tem diante de Deus.

Carta de renúncia do Papa Bento XVI

Queridos irmãos,
Convoquei-os a este Consistório, não só para as três canonizações, mas também para comunicar-lhes uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, eu tive a certeza de que meus pontos fortes, devido à idade avançada, não são mais adequados para um adequado exercício do ministério Petrino.
Estou bem ciente de que este ministério, devido à sua natureza espiritual essencial, deve ser feita não só com palavras e ações, mas sem a falta de oração e sofrimento. No entanto, no mundo de hoje, sujeito a tantas mudanças rápidas e abalado por questões de relevância profunda para a vida de fé, para poder governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, a força da mente e do corpo são a força, necessária que nos últimos meses, tem-se deteriorado em mim na medida em que eu tive que reconhecer a incapacidade de cumprir adequadamente o ministério que me foi confiado.
Por esta razão, e bem conscientes da gravidade deste ato, com total liberdade Declaro que renunciar ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, a mim confiada pelos cardeais em 19 de abril de 2005, de tal forma, que a partir de 28 de fevereiro de 2013, às 20:00 horas, a Sé de Roma, a Sé de são Pedro, será livre e um Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice terá de ser convocada por aqueles cuja competência é.
Queridos irmãos, agradeço-lhes muito sinceramente por todo o amor e trabalho com o qual vocês me apoiaram no meu ministério e peço perdão por todos os meus defeitos. E agora, vamos confiar a Santa Igreja aos cuidados de Nosso Supremo Pastor, Nosso Senhor Jesus Cristo, e implorar à sua Santa Mãe Maria, para que ela possa ajudar os Cardeais com a sua solicitude materna, a eleição de um novo Sumo Pontífice. Com relação a mim, quero também devotamente servir a Santa Igreja de Deus no futuro através de uma vida dedicada à oração.
Vaticano, 10 de fevereiro de 2013
BENEDICTUS PP XVI

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

lata d'água (Luis Antônio, Jota Jr) - Marlene (Cine Brasil)

1959 - Orlando Silva - A Jardineira (Marcha de Carnaval de 1938)

Virgínia Lane canta "Sassaricando" (1952)

Virgínia Lane em "Mulheres à Vista"

1950 - Emilinha Borba - Tomara Que Chova

Emilinha Borba - "Pó de mico"

1959 - Nuno Roland - Pirata da Perna de Pau (Marcha de Carnaval de 1947)

1959 - Moacir Franco - Me dá um Dinheiro Ai

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

É Hora de Mudar

Lei de Reforma do Congresso de 2011   


Lei de Reforma do Congresso (proposta de emenda à Constituição Federal)



1. O congressista será assalariado somente durante o mandato.  Não haverá ‘aposentadoria por tempo de parlamentar’, mas contará o prazo de mandato exercido  para agregar ao seu tempo de serviço junto ao INSS referente à sua profissão civil.


2. O Congresso (congressistas e funcionários)  contribui para o INSS. Toda a contribuição (passada, presente e futura) para o fundo atual de aposentadoria do Congresso passará para o regime  do INSS imediatamente. Os senhores Congressistas participarão dos benefícios dentro do regime do INSS exatamente como todos outros brasileiros. O fundo de aposentadoria  não pode ser usado para qualquer outra finalidade.

3. Os senhores congressistas e assessores devem pagar seus planos de aposentadoria, assim como todos os brasileiros.


4 Aos Congressistas fica vedado aumentar seus próprios salários e gratificações fora dos padrões do crescimento de salários da população em geral, no mesmo período.
 
5. O Congresso e seus agregados perdem seus atuais seguros de saúde pagos pelos contribuintes e passam a participar do mesmo sistema de saúde do povo brasileiro.


6. O Congresso deve igualmente cumprir todas as leis que impõe ao povo brasileiro, sem qualquer imunidade que não aquela referente à total liberdade de expressão quando na tribuna do Congresso.
 


7. Exercer um mandato no Congresso é uma honra, um privilégio e uma responsabilidade, não um uma carreira.  Parlamentares não devem servir em mais de duas legislaturas consecutivas. 

8. É vedada a atividade de lobista ou de ‘consultor’ quando o objeto tiver qualquer laço com a causa pública.  


É ASSIM QUE VOCÊ PODE CONSERTAR O CONGRESSO.

Se você concorda com o exposto, REPASSE. 

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Oração

ORAÇÃO DO DIZIMISTA
Senhor meu Deus, sempre vos peço bênçãos e graças, mas hoje quero me prostrar diante de Vós apenas para agradecer, pois a minha vida já é uma grande benção e uma sucessão de graças recebidas. Em cada dia vivido e em cada noite de descanso, em cada pessoa que existe, em cada encontro, cada amanhecer e anoitecer, em cada refeição e em cada oração, em tudo encontro a oportunidade de me lembrar de todo bem que recebo de Ti e de quanto vos devo agradecer. Muito obrigado meu Deus, por tudo o que tenho e sou! Que o meu Dízimo seja sempre um compromisso fiel em reconhecimento e gratidão por todos os bens que continuamente me concedeis! E que em toda a minha vida eu vos louve sem cessar! Amém!

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Os Sete Sacramentos da Igreja

Os Sete Sacramentos da Igreja

Os sacramentos são sinais eficazes da graça, instituídos por Cristo e confiados à Igreja, por meio dos quais nos é dispensada a vida divina. Os ritos visíveis sob os quais os sacramentos são celebrados significam e realizam as graças próprias de cada sacramento. Produzem fruto naquele que os recebem com as disposições exigidas.
A Igreja celebra os sacramentos como comunidade sacerdotal estruturada pelo sacerdócio batismal e pelos ministros ordenados.
O Espírito Santo prepara para a recepção dos sacramentos por meio da Palavra de Deus e da fé que acolhe a Palavra nos corações bem dispostos. Então, os sacramentos fortalecem e exprimem a fé.
O fruto da vida sacramental é ao mesmo tempo pessoal e eclesial. Por um lado, este fruto é para cada fiel uma vida para Deus em Cristo Jesus; por outro, é a para a Igreja crescimento na caridade e em sua missão de testemunho." Sacramento são gestos de Deus em nossa vida. Realizam aquilo que expressam simbolicamente.
Os sacramentos são, por conseguinte:
Sinais sagrados, porque exprimem uma realidade sagrada, espiritual;
Sinais eficazes, porque, além de simbolizarem um certo efeito, produzem-no realmente;
Sinais da graça, porque transmitem dons diversos da graça divina;
Sinais da fé, não somente porque supõem a fé em quem os recebe, mas porque nutrem, robustecem e exprimem a sua fé;
Sinais da Igreja, porque foram confiados à Igreja, são celebrados na Igreja e em nome da Igreja, exprimem a vida da igreja, edificam a Igreja, tornam-se uma profissão de fé na Igreja.


Os sacramentos são sete:
ü  Batismo
ü  Confirmação ou Crisma
ü  Eucaristia
ü  Penitência ou Confissão
ü  Unção dos enfermos ou Extrema Unção
ü  Ordem sacerdotal
ü  Matrimônio


O Batismo: O santo Batismo é o fundamento da vida cristã e a porta que abre o acesso aos demais sacramentos. Pelo Batismo somos libertados do pecado e regenerados como filhos de Deus, tornamo-nos membros de Cristo, somos incorporados à Igreja e feitos participantes de sua missão. O Batismo é um sinal indelével (que não se pode apagar). É necessário à salvação do indivíduo e, através dele, todos os pecados são perdoados: o pecado original e todos os pecados pessoais cometidos até aquele momento, bem como todas as penas desses pecados. No entanto, certas consequências temporais do pecado permanecem, como os sofrimentos, a doença, a morte ou as fragilidades ligadas à vida, como as fraquezas de caráter, a propensão ao pecado.                                                                               
Matéria – água
Forma – “Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.”
Graça – Apaga o pecado original – nos torna filhos de Deus – é o nascimento espiritual.
A Confirmação (crisma): Este Sacramento aperfeiçoa a graça batismal; é o sacramento que dá o Espírito Santo para enraizar-nos mais profundamente na filiação Divina, tornando mais sólido nosso vínculo a Jesus e à Sua Igreja. Como o Batismo, imprime um caráter indelével na alma do cristão, por isso só pode-se recebê-lo uma vez na vida. O rito é realizado através da unção com o santo crisma (óleo abençoado) na fronte do batizado. Normalmente é realizado pelo Bispo diocesano, mas pode ser realizado por sacerdotes sob a autorização dele.
Matéria – o óleo sagrado chamado Santo Crisma.
Forma – “Eu te marco com o Sinal da Cruz e te Confirmo com o Crisma da Salvação, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.”
Graça – Nos confirma na Fé, nos torna Soldados de Cristo – é o crescimento espiritual.
A Eucaristia: É o Sacramento dos Sacramentos. É o coração e o ápice da vida da Igreja, pois nela Cristo associa Sua Igreja e todos os seus membros a Seu sacrifício de louvor e de ação de graças oferecido uma vez por todas na cruz a Seu Pai; por Seu sacrifício Ele derrama as graças da salvação sobre o Seu corpo, que é a Igreja. A Eucaristia é o memorial da páscoa de Cristo. Não "memorial" no sentido de lembrança mas, através dela, nos transportamos realmente ao Calvário no momento da entrega de Cristo. É Cristo mesmo que, através do sacerdote, oferece o sacrifício eucarístico. É também o mesmo Cristo que está realmente presente sob as espécies do pão e do vinho, que é a oferenda do Sacrifício Eucarístico.
Apenas os sacerdotes devidamente ordenados (padres) podem presidir a Eucaristia e consagrar o pão e o vinho para se tornarem o corpo do Filho de Deus. O corpo e o sangue de Cristo devem ser recebidos em estado de graça, ou seja, sem que estejamos manchados por pecados. Se alguém se vê em pecado é melhor que não comungue, pois quem toma o corpo e sangue de Jesus em pecado toma a sua própria condenação. Neste caso o fiel deve confessar-se antes de retornar ao banquete Santo. Através da comunhão do corpo e sangue do Senhor, os pecados veniais (leves) são perdoados e o fiel é preservado dos pecados graves. A Igreja lembra também que a visita ao Santíssimo Sacramento (Jesus presente no Sacrário numa comunidade perto de você) é uma prova de gratidão e de amor para com Cristo.
Matéria - O pão e o vinho consagrados na Santa Missa.
Forma - "Isto é o meu Corpo" - para a consagração do pão; "Este é o cálice do meu sangue, do sangue da nova e eterna aliança, mistério da Fé, que será derramado para vós e para muitos para o perdão dos pecados" -, para a consagração do vinho.
Graça - É a presença do próprio Jesus Cristo na nossa alma, com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade - é o alimento espiritual.
A Conversão, ou Confissão, ou Penitência, ou Reconciliação: A Bíblia nos diz: "Dizendo isso, soprou sobre eles e lhes disse: Recebei o Espírito Santo; aqueles a quem perdoardes os pecados lhes serão perdoados; aqueles aos quais os retiverdes lhes serão retidos" (Jo 20,22-23). A Igreja possui a autoridade dada por Cristo de perdoar ou não os pecados dos fiéis. Claro, a Igreja jamais deixa de perdoá-los, pois não existe para condenar, mas para salvar os filhos de Deus. Quem peca fere o amor de Deus. Além disso o pecado sempre gera consequências físicas, ou seja, algum mal à Igreja e/ou ao mundo inteiro. Para repará-las as indulgências podem ser conquistadas para si mesmo ou para as almas do Purgatório (onde as almas se purificam antes de entrar no céu). Elas podem ser obtidas rezando-se o terço, fazendo meia hora de oradação ao Santíssimo Sacramento e rezando-se um Pai Nosso, uma Ave Maria e um Glória ao Pai ao Santo Padre, o Papa.                                                            Para confessar-se é preciso que se esteja arrependido, se mencione os pecados a um sacerdote (padre), por piores que sejam, pois jamais seremos condenados por eles, e a vontade de cumprir a penitência dada por ele (sacerdote) para a reparação dos pecados confessados. É sempre importante, antes de se confessar, fazer um cuidadoso exame de consciência, procurando lembrar-se de todos os pecados cometidos desde a última confissão. Para este fim é útil a leitura dos dez mandamentos de Deus e/ou do Sermão da Montanha (Mateus, dos capítulos 5 ao 7)
Matéria - Os pecados confessados diante do Padre.
Forma - "Eu  te absolvo dos teus pecados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém."
Graça - O perdão dos pecados - devolve a graça santificante - é o remédio espiritual.
A Unção dos Enfermos: Este sacramento confere uma graça especial ao cristão doente, portador de doença que  lhe ofereça perigo de morte, ou ao idoso. Somente o Bispo ou os sacerdotes estão autorizados a empregar este sacramento (Código de Direito Canônico, cânon 1003). É utilizado óleo consagrado pelo Bispo ou, em caso de urgência, consagrado pelo próprio sacerdote. Unge-se as mãos e a fronte do doente e pede-se uma graça especial ao fiel. Ao empregar-se este sacramento, todos os pecados do fiel são perdoados, caso o doente não possa obtê-lo pelo sacramento da Penitência. Também é restabelecida a saúde, se isso convier à salvação espiritual. Garante-se também a preparação para a passagem a vida eterna.
Matéria - O óleo sagrado chamado Óleo dos Enfermos.
Forma - "Por esta santa unção, que o Senhor te perdoe todos os pecados que fizeste pela... (a unção é feita nos olhos, boca, ouvido, nariz, mãos e pés)."
Graça - Prepara nossa alma para ir para o Céu - apaga os pecados veniais, as imperfeições e até pecados mortais - reanima o corpo doente.
A Ordem: São Paulo diz a Timóteo, seu discípulo: "Eu te exorto a reavivar o dom de Deus que há em ti pela imposição de minhas mãos" (2Tm 1,6). A Tito ele dizia: "Eu te deixei em Creta para cuidares da organização e ao mesmo tempo para que constituas presbíteros em cada cidade, cada qual devendo ser como te prescrevi" (Tt 1,5). Os fiéis da Igreja possuem o chamado "sacerdócio comum", que é uma participação no sacerdócio de Cristo. No entanto, a Igreja necessita do sacerdócio ministerial, aquele cujos ministros sagrados recebem um poder sagrado para o serviço dos fiéis. Esse sacramento pode ser dado somente a homens, sendo que apenas aos solteiros pode ser conferido para o presbiterado (padres e posteriormente Bispos, se assim for a vontade de Deus). Os casados podem recebê-lo e tornarem-se diáconos, que são aqueles que auxiliam o Bispo e o sacerdote. Não recebem o sacerdócio ministerial, mas a ordenação lhes confere funções importantes no ministério da Palavra, do culto divino, do governo pastoral e do serviço da caridade, tarefas que devem cumprir sob a autoridade pastoral de seu Bispo. Este sacramento é conferido pela imposição das mãos, conforme era feito pelos Apóstolos e é seguido por uma solene oração consacratória. Este sacramento também imprime um caráter indelével. É conferido pelo Bispo.
Matéria - A imposição das mãos pelo Bispo.
Forma - A oração consacratória na ordenação sacerdotal.
Graça - Dá ao Padre o poder de celebrar a Missa e outros Sacramentos.
 
O Matrimônio: Este Sacramento significa a união de Cristo com a Igreja. Concede aos esposos a graça de amarem-se com o mesmo amor com que Cristo amou Sua Igreja; a graça do sacramento leva à perfeição o amor humano dos esposos, consolida sua unidade indissolúvel e os santifica no caminho da vida eterna. Ao contrário do que muitos pensam, quem celebra o casamento são os noivos. O ministro presente é uma testemunha da Igreja. O Matrimônio baseia-se no consentimento dos contraentes, isto é, na vontade de doar-se mútua e definitivamente para viver uma aliança de amor fiel e fecundo. Este Sacramento é indissolúvel. Quando o casal se separa na lei dos homens, permanecem casados na lei de Deus e um novo relacionamento ou um novo casamento civil leva ao pecado de adultério. Neste caso a pessoa que assim procede não se deve sentir excluída da Igreja. Apenas não poderá ter acesso à comunhão eucarística (corpo e sangue de Cristo). Há casos em que a Igreja reconhece que um casamento não foi selado por Deus. Não que a Igreja cancele o Matrimônio, não é isso. Ela apenas, através de provas, chega à conclusão que os cônjuges não estavam maduros espiritualmente no momento do casamento e, por este motivo, esse jamais fora válido. Dúvidas quanto à nulidade do casamento devem ser levadas a um tribunal eclesiástico.
Matéria - O contrato entre os noivos.
Forma - A aceitação pública do contrato - o "sim". Graça - Capacidade de ter e educar os filhos, viverem juntos em harmonia, e buscando a vida eterna.